Prive Contos Eróticos – A Gostosa do Colégio

Sou Renan, tenho 18 anos, pele morena e um corpo bacana, estudo num colégio particular e curto minha vida com cautela, apesar de um belo par de olhos verdes nunca me deslumbrei e vivo a minha vida sem muitas novidades, moro com meu pai e minha mãe que sempre lutou pra me dar o do bom e do melhor.

Nasci no interior de São Paulo e hoje moro aqui em Mato Grosso do Sul; e logo de cara naquela escola conheci Bruna, muito diferente de mim ela sempre demonstrou um olhar diferente, um jeito de menina atraente diante de belas roupas provocantes, era o tipo de garota meiga misturada a um olhar de pecado.

A menina que mexia com meu imaginário
me fazia refletir e sentir-se a cada dia mais desejo e vontade de possuí-la, logo a aproximação foi rápida, aprendíamos e
curtíamos aquela fase do se conhecer, o sexo era apenas um detalhe, o que era interessante era a troca de olhares, o encantamento por uma descoberta.

Bruna desde o primeiro momento se demonstrava diferente de muitas, recatada e com postura de menina-mulher fazia os homens se curvar diante de sua bela olhada, de suas belas coxas e seios fartos; eu me encantava e ela correspondia com diretas e olhar maliciosos, confesso que fiquei com várias meninas, mais nunca com jeito especial feito ela, e assim aproximação virou um primeiro momento, uma conversa que virou um beijo doce e romântico.

Era numa praça aqui de Campo Grande MS, um local escuro em um momento onde tomar sorvete virou desculpa pra conhecer aquela mulher melhor, onde o sexo fazia com que meus medos virasse uma reação na minha calça e meu jeito um simples toque de duas bocas; Bruna me beijava e eu sentias o gosto de seu prazer, a pegada em seu rosto e o tocar de dois momentos especiais pra mim.

O sorvete era apenas mais um detalhe, era uma situação de mistura, de sensação e nós compreendíamos ali a reação de dois corpos, logo sua boca linda, o cheiro de sua beleza e as carias virava uma excitação sem nexo era eu ali com a garota que sempre desejei, com a menina dos meus olhos, um prazer ao comum, um sexo ao comum.

Ela me beijava me deixa seduzir e com isto minhas mãos perdia o controle e logo se fazia presente em suas coxas, e ela a não ligar, apenas se fazia liberal, era eu e ela no escuro de uma praça, era um homem e uma mulher que sempre se curtia a se conhecer melhor.

O relógio da vida escrevia nosso momento, e logo estar entrando em um motel era o capitulo final, ou inicial de um momento de desejo, a menina com cara de santa vira o inimigo da noite e com as mãos sobre a minha bermuda desafiava todo sentido do prazer, ali entramos e o melhor quarto foi pedido, ela então parecia estar ansiosa e curtindo cada caricia e beijar.

Aquele quarto de motel a beleza da decoração era apagada diante da beleza de Bruna, que com seu jeito de mulher se manifestava e logo me jogando na cama curtia cada parte do meu corpo, a menina se transformava e eu não entendia mais nada naquele momento, era o prazer e a desconfiança, o medo e o desejo unidos no mesmo sentido sexual, assim compreendi e assim entendia o significado de cada toque, de cada beijar.

Aquele jeito de menina, aquele corpo de mulher, seus seios fartos e durinhos, sua pele lisa e seu olhar de tarada, nossas roupas já não mais se fazia presente e a luz do momento era nosso sexo, loucamente ela colocava seu corpo ao meu, seus beijos me seduzia enquanto sua mão tocava em meu instrumento, logo em gestos de movimento eu sentia o gosto do sexo, o jeito do prazer, éramos nós jovens a se entender.

Bruna era completa, de beleza jovem e de um sexo extremamente ousado, em sua mão estava meu sexo, onde em punheta sentia o jeito de me dominar, ali aquela boca linda parecia querer ousar e logo sentia o tocar de seus lábios naquela minha rola grossa, ela gemia feito menina, sentia eu seus seios com as mãos e via em mim um garoto a viajar no prazer.

Sua gruta parecia estar louca e sua boca a navegar na minha pica, assim ela mamava feito uma menina a descobrir o primeiro pirulito, ela entendia nele algo diferente, grosso e muito além do que talvez ela esperasse, sentia então o gosto de sua pegada, de seu sexo.

Eu então a subia e beijando sua nuca, tocando em seu corpo via meus dedos se perder naquela grutinha de garota, ela se contorcia de prazer enquanto meus dedos a seduzia por dentro, remexendo e com suas tetas na minha boca, onde o biquinho de seus seios era um brinde especial, ali o momento pedia mais que um sexo, aquela bucetinha apertada sendo massageada, ela gemia alto, e eu a conduzia ao jogo do prazer, a menina virava mulher e eu a estar extremamente com vontade de comer, de abusar e afundar minha pica naquela delicia de menina.

Bruna então em cima de mim mordia meus lábios, me fazia caricias e logo com suas mãos fazia de minha rola o alvo de sua xoxota, ali por cima eu sentia ela com suas mãos direcionar aquela bucetinha e colocar cada centímetro de minha rola dentro dela, e a remexer, cada momento era uma nova loucura, menina apertadinha, jeito louquinha rebolava feito louca e eu a suar de tanto prazer, era uma delicia possuir cada toque, cada gesto, cada gosto do rebolar em minha rola.

Ela parecia sedenta de sexo, minha pica introduzida dentro dela, rebolando, gemendo e minhas mãos a acariciar seus seios, tocando em seu corpo; minha pica era abusada, judiada e ela parecia não se conter, aquela mulher parecia estar com sede de sexo e eu com cada momento mais me prendendo pra não a encher de porra.

Assim era a situação, caricias e beijo, sexo e suor, gemidos que virou noite e ali era duas pessoas, a menina mulher virou o sexo do momento, sem muito questionar as posições se invertia e agora era eu por cima dela, ali a colocando, a massacrando com minha pica, a cena de ter aquela bucetinha a mostra, eu coava com vontade, era gostoso rebolar minha pica dentro dela, era gostoso sentir aquela bucetinha apertada ser atolada pela pica de seu garoto.

Eu a dominava e a surpreendia também, beijava sua boca enquanto a socava, fazia ela ter um tesão extremo, logo minha língua parecia estar além de um desejo, ali com sua pernas em meu ombro eu via em sua xoxota o gosto de seu sexo, logo eu sentia aquela bucetinha quentinha e toda molhadinha, minha língua passeava nas entranhas daquela buceta, eu sentia o gosto do sexo, do prazer e ela se contorcia de tanto prazer, segurava minha cabeça e forçando o entrar da minhas língua, era uma viagem.

Sexo e prazer esta era a palavra de ordem, aquela mulher a ser penetrada pela minha língua, sentia o gosto de seu sexo e logo sem demorar sentia seu gozar em minha língua, parecia viajar, parecia estar em transe e logo parecia contorcer o corpo em resposta de seu sexo, era a menina linda a gozar na boca de seu garoto, de seu comedor.

Bruna tinha mais que um corpo e um rosto bonito, tinha uma buceta gostoso, muito além do que imaginei mais ela não estava vencida, assim que gozou na minha boca ela parecia querer mais, e ela teria mais, é que agora de quatro eu a penetrava de novo, ela gemia de novo e queria sentia mais e mais minha pica, ela se sentia entregue, se sentia dominada e ali de quatro a sentir minha rola entrar sem medo.

Aquela garota de bunda pra cima sendo atolada pela minha geba, ela suava, gemia e gritava, pedia mais e mais rola, parecia possuída por um ser sexual, ela rebolava intensamente no meu sexo, e a suar, segurava meu gozo e queria mesmo era esfolar aquela buceta, queria deixar aquele sexo inchado, logo àquela mulher sentia a pegada, puxando seu cabelo eu metia com vontade, socava sem medo naquela xoxota gostosa.

Sem muito esperar eu novamente metia minha boca na sua buceta, e sentia o gosto de seu prazer, minha pica parecia explodir de vontade de gozar e ela gemendo, me sentindo, em si ela novamente me surpreendia, pedia pra mim gozar na tua boca, e ela de quatro, eu ajoelhado na sua frente enfiava minha pica naquela boquinha e começava a fuder, eu socava minha pica grossa na sua boca, fudia com força, a via babar e cada socava a atingir sua goela, ela estava pronta e em segundo minha rola explodia diante de sua garganta jatos de porra, segurando ela e a forçando a engolir cada gota, a fazendo se engasgar e escorrer meu leite sobre seu lindo rosto, aquela menina então parecia gostar daquele momento.

Minha porra escorria e ela fazia força pra poder engolir cada gotinha, sentia que nosso prazer era mutuo,, ambos estava satisfeito, aquela transa era diferente e gostosa, nunca havia gozado na boca de uma garota tão linda como aquela.

Eu estava encantando com o jeito daquela mulher, e por si ficamos juntos, fizemos mais um sexo na alta madrugada e logo no outro dia cada um ao seu caminho, nunca me importei com as situações do sexo, mais com Bruna era diferente, era muito além do imaginado, mais era apenas um encanto.

A noite naquele colégio estava eu a esperar, Bruna chegou em seguida e me tratou indiferente, como se nada tivesse acontecido, não entendi nada, mais também ficava a esperar de sua fala, nunca uma mulher havia me tratado indiferente depois de um sexo.

Fiquei cismado com tudo aquilo, ela demonstrava nem me conhecer, e pra ela foi apenas mais um sexo, e pra mim foi especial; dias se passaram e conversávamos o básico, não tocamos no assunto e logo me perguntava e porque não de novo, resolvi numa destas aulas a chamar pra conversar e ela me surpreendia de novo.

“Renan apenas curti nosso sexo, não me envolvo com nenhum rapaz apesar de você ser bacana e muito gostoso, sou uma garota de programa, poucos daqui sabe, fiquei com você por desejo, mais realmente foi somente isto, agora se quiser do meu serviço é só me ligar”
Entregando-me um cartão ela a me deixar sem palavras.

#Fim
Autor: Danyel

 

About Menino do Rio

Verifique também

Prive Contos Eróticos – Incesto – De tanto meu filho me provocar acabei comendo ele!

    Pra começar meu nome é Raul, tenho 56 anos, cabelos castanhos, olhos azuis, …

3 comments

  1. Examine Propane Businesses – It can be Quick And Easy When you’re conscious Just how

  2. Prive Contos Eróticos – A GOSTOSA do Colégio | Ponto de Vista – Prive Gay

  3. Ich hoffe, beim nächsten Mal kann ich dabei sein. Bitte rechtzeitig ankündigen. lg

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. .



marcelo mastrocontos porno gaymusuclo duromatan shalevconto erotico gay primomuscuko durog magasinefamosos g magazinedom gorilla gayconto de incesto gaygmagazine 2015andy star e domgustavo lira sexo gaykleber bambam g magazinerodrigo g magazinegp diego mineirodanilo prates pornsexo gay zoofiliamarcos seya peladozoofilia cavalorick lovatellixvideos gay mundo maisanao gay sexotio breno videoshomens g magazinemenino comendo o cu da galinharevista g magazine oficialcontos gays teenscontos eróticos estuprocontos meninos gayclaudio andrade g magazinelatin jocksvideo gay mundo maisandy star e domponto de vista gaycontos eroticos gay professorjohnny lumberjackquadrinhos gay pornoconto gay primog magazine tony sallesgrupo de putaria gayconto erotico gay professorricky whittle nakedhenry licett nakedconto erótico em quadrinhosmarcelo mastrocontos eroticos zoofilia gaygay zoofiliagarotos quentes blogquadrinhos gay pornonovinhos fudendog magazine sitecontos eróticos em quadrinhosg magazine frotaestrupo gaymichel mundo maisg magazine fotosacompanhante negromulekerporranocugifs de zoofiliacontos eroticos em quadrinhohomem fudendo galinhagustavo lira nuescrava isaura pornoandre simoes acompanhantecontos eroticos estupro gayrick lovatelliconto gay pai e filhoyuri gaucho fudendofudendo uma galinhaconto erótico gay pai e filhomundomaiscontos eroticos teen gayrenbri gpas aventuras de tio brenozoofilia cavalomenino comendo cadelagifs zoofiliao sacana gaybambam g magazinemamando o novinhouma colegial sapecairmaosdotados.com.brbangbangboys.comclaudio andrade g magazinegifs de zoofilialeo dotado mundo maiscontos gay 2018contos eroticos de estrupodei pro meu tiocontos eroticos zoofilia gaydemetrio nujake cruisezoofilia cachorro gozandofotos g magazinericardo pirocãocasal transando com cachorrocontos eroticos gays 2017g magazine david cardoso